A Seccional do Distrito Federal fechou parceria com Polícia Civil para participar do projeto Lidera, realizado pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM), para estender as capacitações do projeto para seus advogados. O projeto tem por objetivo empoderar lideranças comunitárias mediante o compartilhamento de conhecimentos e instrumentos legais de enfrentamento a violência contra a mulher. O curso será realizado dias 13, 14 e 15 de março, das 14h às 18h, no auditório da DEAM (EQS 204/205, Asa Sul). Para se inscrever, clique aqui.

A Seccional participará da programação com palestra sobre “a ética do exercício da advocacia para a proteção da mulher”, que será ministrada pela conselheira seccional e presidente da Comissão da Mulher Advogada, Cristina Alves Tubino.

Os últimos detalhes da palestras foram firmados em reunião realizada na sexta-feira (9), entre a delegada da DEAM, Sandra Gomes, e a presidente da Comissão Especial de Combate à Violência Familiar da OAB/DF, Lucia Bessa. A parceria já havia sido firmada no fim de janeiro, quando o presidente da OAB/DF, Juliano Costa Couto, visitou a delegacia e debateu formas que a Seccional pode contribuir para o combate à violência doméstica, em especial a Lei Maria da Penha. Confira aqui.

Na ocasião, Costa Couto, lançou a ideia de fazer uma turma do projeto Lidera com profissionais da advocacia. “Sabemos de nosso papel social e temos o dever de ajudar vítimas de violência”, disse.

Para Lúcia Bessa, a parceria é muito bem-vinda. “Devemos combater todos os tipos de violência, e nos tornar mais capacitados para lidar com os aspectos tão complexos e sensíveis desse grave problema social, que tem gerado muitas vítimas a cada dia e, nos casos mais extremos, leva a morte de muitas mulheres todos os anos”.

A delegada Sandra contou que considera que os advogados podem ser grandes aliados. “Para mim é muito importante que os advogados conheçam como a Polícia Civil trabalha esse tema”, disse. Ainda segundo a delegada, o último dia do projeto, onde serão feitos estudos de casos, foi elaborado segundo sugestão do presidente da OAB/DF, Juliano Costa Couto.