O Brasil est√° se aproximando de mais uma elei√ß√£o. Em 2018 os cidad√£os ter√£o que escolher seus representantes nos √Ęmbitos federal, estadual e municipal. A fim de que o eleitor entenda cada vez mais sobre a pol√≠tica do pa√≠s, a Comiss√£o de Direito Eleitoral da OAB/DF, promoveu mais uma palestra do ciclo di√°logos eleitorais na noite de quarta-feira (29).

Segundo Bruno Rangel, presidente da Comiss√£o Especial de Direito Eleitoral, o objetivo √© fazer com que o cidad√£o de bem n√£o se afaste da pol√≠tica. ‚ÄúComo Comiss√£o tentamos esclarecer que existem pol√≠ticos corruptos que merecem ser penalizados e existe a pol√≠tica enquanto instrumento de pacifica√ß√£o social e promo√ß√£o de direitos em uma sociedade cada vez plural‚ÄĚ, afirmou.

Para o presidente, apesar dos esc√Ęndalos pol√≠ticos na m√≠dia, n√£o se pode afastar o assunto das conversas cotidianas, pois debater o assunto √© exercer os direitos enquanto cidad√£os. Para ele, a OAB/DF √© essencial nesta caminhada por suscitar os temas importantes e promover debates que viabilizam que o cidad√£o conhe√ßa mais a fundo esse cen√°rio.

A doutora em Direito Constitucional pela Pontif√≠cia Universidade Cat√≥lica de S√£o Paulo (PUC/SP) e conselheira da OAB do Rio de Janeiro, V√Ęnia Siciliano Aieta, afirmou que o pa√≠s passa por uma crise institucional. Na ocasi√£o, ela lan√ßou o livro ‚ÄúCriminaliza√ß√£o da Pol√≠tica‚ÄĚ, de sua autoria, lan√ßado pela editora Lumen Juris. A obra √© uma defesa √† legalidade da advocacia. ‚ÄúA moral das ruas est√° ganhando uma import√Ęncia maior do que as leis, e o ju√≠zes est√£o criando Direito, em vez de aplic√°-lo‚ÄĚ, explicou.

A vice-presidente da comiss√£o, Cristiane Britto tamb√©m comp√īs a mesa.