O mês da advocacia começou embalado com uma nova conquista para os 65 novos advogados e advogadas que receberam a carteira para advogar na seccional do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/DF). A solenidade, que ocorreu nesta quinta-feira (1°), foi emocionante, com direito a choros, risos e palmas de felicidade.

Estiveram presentes na solenidade advogados, advogadas, familiares, presidentes e membros de comissões, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, o presidente da OAB/DF, Délio Lins e Silva Junior, o secretário-geral e o diretor tesoureiro da OAB/DF, Márcio de Souza Oliveira e Paulo Maurício Braz Siqueira, respectivamente. Também compuseram a mesa presidentes e membros de diversas comissões da OAB/DF.

A cerimônia é um momento único para quem sonha em advogar. Receber a carteira da Ordem é uma conquista muito grande e o caminho adiante não é simples. “Advogar é muito bom. Lembro-me de quando recebi minha carteira nesta mesma sala e de lá para cá muitas coisas aconteceram. A advocacia vem passando por muitas transformações, com as novas tecnologias, um mercado de trabalho dinâmico e muitos desafios para o exercício da profissão. Lembrem sempre que estamos aqui para ajudar vocês”, ressaltou o presidente da OAB/DF, Délio Lins e Silva Junior.

Representando os novos profissionais, Isadora Cronemberger Caixeta foi a oradora da turma. Assim como o presidente, a bacharel defendeu o bom uso do direito pelos advogados. “O que a sociedade precisa, mais do que nunca, é de advogados íntegros, que saibam lidar com os desafios futuros com equilíbrio e com a mente aberta, livre de preconceitos e prontos para exercer essa atividade com garra e excelência”, destacou a oradora.

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, foi escolhido como paraninfo da turma. O presidente do STJ ressaltou a necessidade do direito para todos. “O primeiro guardião da liberdade é o advogado e isso nos coloca um dever perante a nação brasileira, como é citado na Constituição. Temos o compromisso de assegurar a ordem jurídica doa a quem doer e esse compromisso é com a verdade. A Ordem é cada um de vocês”, pontuou.

Ele destacou ainda que o caminho é gratificante. “Vocês começam agora um novo caminho em que terão alegrias e peculiaridades, mas lembrem, é preciso ter coragem para ser feliz. E a felicidade do advogado é a visão da ordem”, concluiu.

Segundo o presidente da subseção de Sobradinho, Márcio Caixeta, a OAB/DF é um “fábrica de sonhos”. “A Casa tem muitos nomes, mas hoje acho importante colocar esse novo. Isso porque o caminho de vocês está começando aqui e hoje, não sabemos onde ele dará, mas acreditem no seu potencial. Nunca deixem de sonhar e contem com a gente”, enfatizou.

A presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, Adolescente e Juventude, Anna Carolina Menezes de Noronha Borelli, ressaltou a criação de um caminho compartilhado entre os profissionais do Direito. “Juntos somos mais fortes, temos que nos ajudar para ajudar a Ordem. Precisamos nos fortalecer e unir para levar voz a quem precisa de voz. O caminho é árduo, mas imprescindível para todos”, ressalta.

Família e profissão de mãos dadas

Cada vez mais, o número de mulheres atuando em diversas áreas está crescendo e não poderia ser diferente na advocacia. Nesta quinta-feira, novas mulheres passaram também a integrar o quadro da OAB/DF, como é o caso da Patrícia Bomfim Abdala e da Lorena Léa de Almeida.

Durante a cerimônia, Patrícia ficou o tempo todo com a filha de 4 meses, Alyssa, no colo. A pequena não deu trabalho, pois está acostumada a participar de aulas e reuniões com a mãe. O sonho de advogar de Patrícia é antigo. “Sempre gostei da área e acho linda a profissão. Não foi uma graduação fácil, lidei com diversos obstáculos e também com a maternidade, mas venci”, disse orgulhosa. Ela se formou há cerca de cinco anos e ainda na faculdade o filho mais velho, agora com 15 anos, a acompanhava nas aulas e audiências.

A história se repetiu quando ela decidiu voltar e estudar para o Exame da Ordem há cerca de dois anos. Nesse caminho, Patrícia levou a pequena Alyssa ainda na barriga. “Ela se tornou meu presente junto à carteira neste ano. Meus filhos sempre estiveram presentes na minha formação e meu marido sempre me deu muito apoio. Hoje, estar aqui recebendo a carteira é um orgulho. O que pode servir também de exemplo para os meus filhos de que tudo é possível”, disse emocionada.

Lágrimas de felicidades foi o que não faltou para a advogada Lorena Léa, que se emocionou ao longo de toda a cerimônia. “Hoje minhas lágrimas são de gratidão por ter concluído esta etapa do meu grande sonho que é advogar. O caminho não foi simples, depois de formada tive uma pausa para priorizar a família e lá se passaram 10 anos. Agora venho com orgulho pegar minha carteira”, conta Lorena.