Chega de nota de repúdio! Não é o primeiro caso, tampouco será último!
Enquanto não houver fiscalização de verdade, punição exemplar e autêntica mudança de cultura institucional, em especial nas empresas de segurança e, sobretudo, nos cursos de formação, casos de morte de clientes por “excesso” vão seguir sendo tratados como isolados, quando, em verdade, não o são.
A Comissão de Igualdade Racial da OAB/DF, ao passo que se põe ao lado da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RS, exige rápida resposta das autoridades.
Chega de tratar mortes intencionais de negros como caso isolado!
Racismo não é mal-entendido. Racismo é crime!

Leia aqui a Nota Oficial da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RS sobre a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, cliente de um supermercado em Porto Alegre, na noite desta quinta-feira (19) .

Leia reportagem do G1.

Comissão de Igualdade Racial da OAB/DF