É com profundo pesar que a Seccional da OAB do Distrito Federal informa o falecimento da vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT10), desembargadora Márcia Mazoni Cúrcio Ribeiro. Nascida em Belo Horizonte (MG) em 23 de junho de 1954, a magistrada era formada em Direito pelo UniCeub, com mestrado em Direito Privado pela Associação de Ensino Unificado do DF (AEUDF) e ICAT (Convênio com a Universidade Federal de Pernambuco) e doutorado em Direito Público pela Universidade de Extremadura, na Espanha, em convênio com o Centro Universitário do Norte Paulista. Foi aprovada em concurso público para o cargo de juíza do Trabalho, tomando posse no cargo em 1990.

Sua primeira convocação para atuar no 2º grau de jurisdição foi em outubro de 1996. Após várias convocações, foi nomeada para exercer o cargo de juíza togada do TRT-10, tomando posse em fevereiro de 2003. Como docente, a desembargadora já ministrou aulas de Direito do Trabalho no UniCeub, Direito Individual do Trabalho na Associação dos Magistrados do Trabalho da 10ª Região, Relações de Trabalho e Direito Empresarial na AEUDF/ICAT, Direito Processual do Trabalho e Direito do Trabalho na UniDF, entre outras. A desembargadora é autora do livro “Direito Processual do Trabalho”, da editora Fortium, lançado em março de 2005.

Para o presidente da Seccional, Juliano Costa Couto, o falecimento da desembargadora Márcia Mazoni representa grande perda para a Justiça do Trabalho. “A desembargadora Márcia Mazoni sempre exerceu suas funções com nobreza e sabedoria. O carinho, o respeito e admiração que tinha por nós, advogados, sempre foi uma de suas principais características. A Ordem está muito triste com esta perda. Desejo força aos familiares e amigos neste momento de profunda tristeza e dor”.

“A Justiça do Trabalho da 10ª Região perdeu a desembargadora Márcia Mazoni Cúrcio Ribeiro, juíza capaz de aliar suas posições firmes com uma doçura e civilidade poucas vezes reunidas numa só pessoa com a mesma intensidade. Que siga em paz! Aos familiares e amigos atingidos pela perda um forte abraço!”, diz o diretor-tesoureiro da OAB/DF, Antonio Alves.

O desembargador do TRT10 Dorival Borges, amigo pessoal da magistrada, ressalta que “a desembargadora Márcia Mazoni trilhou, com independência e muita capacidade, belíssima carreira na magistratura trabalhista e no universo acadêmico. A comunidade jurídica de Brasília, assim como seus colegas e amigos, sentirão muita falta da valorosa juíza e amiga”.

“Especial. Um termo dirigido a alguém que deixou a zona do comum e mostra algo a mais. A desembargadora Márcia Mazoni está neste grupo. Julgadora perspicaz, a quem – em qualquer momento – nunca faltou a companhia. De um largo sorriso com o qual recebia os advogados, seja em salas de audiência, seja em gabinete. Fica a saudade, fica o carinho e o desejo que esteja em paz, para o conforto da família e de todos nós”, enaltece o ex-conselheiro Federal da OAB/DF Nilton Correia.

A conselheira Seccional Alessandra Camarano ressalta a alegria com que a magistrada desempenhava suas funções. “Dra. Márcia Mazoni, magistrada e ser humano de magnitude elevada, conduzia a vida e o trabalho com a leveza na alma, a doçura no trato e a firmeza necessária para a realização da justiça social. Uma perda irreparável para a justiça do trabalho, para os amigos e todos aqueles que tiveram o grande privilégio do convívio”.