Andressa Mikelle de Jesus Abreu, 24 anos, se apaixonou pelo Direito ao conhecer de perto o trabalho de promotores e defensores públicos quanto ainda era estagiária de ensino médio. Ana Lígia de Cássia Barbosa dos Santos, 23 anos, sempre quis fazer Direito e quer advogar na área de família. Letícia de Sousa Curado, 26 anos, sonha em advogar e tem como meta a carreira de procuradora.

As três estão entre os 67 bacharéis que receberam nesta segunda-feira (13/5), no auditório da OAB/DF, o documento que lhes dá o direito de advogar. “A carteira foi a realização de um sonho”, contou Ana Lígia. Andressa Mikelle lembrou, com emoção, que só conseguiu fazer o curso graças a uma bolsa do Prouni. “Este momento representa, talvez, o degrau mais alto para um sonho: trabalhar como defensora”, revela. “Foi difícil chegar até aqui. Estou muito emocionada”, emendou Letícia Curado.


Orador da turma, Denison defendeu a ética
como uma obrigação do advogado

Denison Oliveira, orador da turma, ressaltou a importância da ética, em sua mensagem aos colegas. “Muito mais que valor, ética é uma obrigação”, disse. “Cada um de nós têm o potencial de transformar problemas em soluções, de gerar valor para cada uma das vidas que chegarão até nós. Que tenhamos maturidade e sabedoria para lidar com os dissabores que vivenciaremos nos tribunais. A toga não é maior que a nossa missão”, defendeu.

O jovem advogado finalizou seu discurso com uma mensagem às mulheres e a todos os novatos. “Todas vocês são do tamanho de seus sonhos e podem ser quem quiserem”, disse às novas advogadas. “E para todos: pensem fora da caixa da clássica advocacia, inovem, sejam influentes, tornem-se empreendedores jurídicos, façam relacionamentos na OAB, estejam onde os influenciadores estão. Sejam a cada dia melhores do que ontem”, concluiu.

O paraninfo da turma, o conselheiro federal Rodrigo Badaró, falou da vocação do advogado. “O coração de cada um de vocês será o guia após o ato do compromisso e a vocação já intrínseca na caminhada que percorreram até aqui falará sempre mais alto, qualquer que seja o ramo da advocacia que desejem escolher, e quando isso ocorrer não tenham dúvida: toda a aflição desvanecerá”, disse.

Rodrigo Badaró defendeu o Exame de Ordem e apontou como janela de oportunidades as mudanças que o mercado vem enfrentando, como a revolução tecnológica promovida pelo processo eletrônico e as revisões nas leis consideradas pilares da advocacia, como o Código de Processo Civil. “Nos conflitos e nas quebras de paradigmas, nascem os líderes, as teses e as ideias inovadoras. As novidades e os desafios estão lançados, mas não haverá sucesso se não exercitarmos a ética, a preocupação cívica, engrandecendo nosso OAB, respeitando nosso Estatuto e vigilante às tentativas de diminuírem a justiça e a democracia, principalmente daqueles que tentam acabar com nosso prestigioso Exame”, disse.

Amor pela profissão
A vice-presidente da Comissão da Mulher Advogada, Gabriela Marcondes, também falou às jovens profissionais. “Somos fortes, somos grandes, somos metade desta Casa, precisamos e contamos com vocês”, disse ela, que comemorou em seu discurso a medida anunciada pela diretoria da OAB/DF, na última sexta-feira, de reduzir em 50% a anuidade de mães advogadas no ano do parto ou da adoção. Saiba mais aqui.


Vice-presidente da Comissão da Mulher
Advogada,
Gabriela Marcondes exaltou a 
paridade na OAB/DF

O presidente da OAB/DF, Délio Lins e Silva Junior, ressaltou a importância da perseverança e do aprimoramento constante em um mercado cada vez mais saturado. “Temos mais faculdades de Direito no Brasil que em todos os países do mundo”, comentou. “O mercado está difícil, mas quem tem amor pela profissão, quem cuida com carinho de cada causa, de cada desafio que lhe cai à mão, tem sempre espaço. Sejam advogados dedicados”, aconselhou.

Participaram ainda da cerimônia o secretário-geral da OAB/DF, Márcio Oliveira; o membro da 7a turma do Tribunal de Ética e Disciplina (TED), Getúlio Soares; o presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, Caio Caputo Bastos; o presidente da Comissão de Advocacia nos Tribunais Superiores, Leonardo Fernandes Ranna; o vice-presidente da Comissão de Prerrogativas, Geraldino Santos Nunes Júnior; e a diretora-tesoureira da Caixa de Assistência dos Advogados do Distrito Federal (CADF), Ana Carolina Franco.