A Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante realizou, na quarta (11) e quinta-feira (12), o Dia de Formação do Jovem Advogado. O evento apresenta o funcionamento da Seccional e seus principais órgãos àqueles que estão ingressando na advocacia. Com palestras de juristas experientes, o evento mostra de que forma a Seccional pode auxiliar o advogado iniciante durante a carreira.

No primeiro dia de evento, Juliano Costa Couto, presidente da OAB/DF, apresentou a Casa e recebeu os novos advogados. Em sua explanação, Costa Couto falou sobre o que é necessário para conseguir alcançar o sucesso e sobre a prospecção com clientes. Segundo ele, o excelente atendimento é essencial para a prosperidade na carreira. “Sejam leais com seus clientes tanto nas vitórias quanto nas derrotas. A comunicação deve ser clara, sempre mantenham contato com seus clientes”, aconselhou.

Costa Couto ressaltou ainda que desafios sempre existirão, porém “cabe a nós escolher o que fazer todos os dias para lidar com as situações da melhor maneira possível”, disse.

Ao enfatizar a importância do projeto realizado pela Seccional, Tiago Santana de Lacerda, presidente da Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, lembrou que a graduação não prepara o jovem advogado para as demandas práticas da profissão. “Aqui temos a explanação de matérias que, infelizmente, não são parte das discussões na faculdade, mas são vitais para que os jovens advogados tenham prosperidade na carreira, como por exemplo, a cobrança de honorários, a prospecção de clientes, o marketing jurídico e a seguridade da advocacia”, enfatizou.

Jacques Veloso de Melo, secretário-geral da Seccional, fez uma palestra sobre como cobrar honorários. Para ele é uma enorme satisfação “ver a casa cheia de jovens advogados buscando informações, interessados no exercício da advocacia e no ingresso no mercado”, disse.

Ainda no primeiro dia, Marielle Brito, advogada e secretária-geral adjunta da Comissão de Relações Internacionais da OAB/DF, falou sobre Marketing Jurídico. Marielle atentou que o país conta com inúmeros advogados, por isso os juristas devem perceber a importância do marketing.

“Ele é fundamental para qualquer modelo de empresa”, defendeu. “O escritório de advocacia também é empresa, e, como toda empresa, deve investir em marketing senão fechará as portas. Conforme o código de ética, a publicidade profissional tem caráter informativo, primando pela sobriedade, portanto, o advogado deve criar conteúdo relevante e valioso”, disse por fim.

O segundo dia começou com a apresentação do conselheiro seccional e vice-presidente da Comissão de Prerrogativas, Fernando Assis. Ele esclareceu que o primeiro a defender sua prerrogativa deve ser o próprio advogado. “Nós somos os grandes responsáveis por criar e consolidar a nossa reputação. Seja respeitado no meio jurídico, mostre que seus clientes podem contar com você, defenda seus constituintes e a cidadania”, aconselhou.

Por fim, Assis falou sobre a procuradoria das prerrogativas, órgão que está a disposição para sanar qualquer problema e ressaltou que os procuradores estão 24h atentos às demandas da advocacia do DF.

Thaís Riedel, conselheira seccional e presidente da Comissão de Seguridade Social, falou sobre a previdência da advocacia e do Direito Previdenciário como área de atuação. Ela ressaltou que “as pessoas não costumam ser previdentes e que este é um hábito que deve ser exercitado aos poucos”. Thais falou ainda sobre os tipos de contribuição e os critérios de aposentadoria no Brasil.
Fabrício Rodovalho, advogado, falou sobre a àrea do Direito do Entretenimento, da qual ele é especialista. Segundo ele, este “é um mercado amplo que abrange Direito do consumidor, empresarial, entre outros e que está em constante crescimento”.

No primeiro dia de evento fizeram parte da mesa o diretor da CAAI, Lucas Azoubel e os membros da Comissão Daniel Ribeiro, Marcelo Caldas e Walquíria Ferreira Braga. Já no segundo dia estavam presentes os membros Luiz Fabiano Santos e as advogadas Fernanda Nery da Silva e Mariana Davi Pinto.